Ads Top

Reichenbach Fall: Assassinos vs Atiradores

Não, este post não é sobre algum jogo de videogame nomeado genericamente. É um post pra tentar entender a grande confusão com que nos deixaram em A Queda de Reichenbach. São teorias e, como tal, podem apresentar falhas. Ou estar bem longe da realidade. Leia e decida se faz sentido! Lembrando que os créditos são do ótimo Tumblr recheado com dezenas de teorias: The Final Problem

Algumas pessoas entederam tudo certinho e não precisam desse post. Algumas ficaram confusas...ou deletaram da cabeça tudo que não estava diretamente relacionado à "morte" de Sherlock e estão tentando voltar às tramas restantes no episódio.

Vamos começar pelo início. Mycroft alertou John de que ele e Sherlock tinham quatro assassinos internacionais como novos vizinhos.

Mycroft mostrou a John fotos de todos os quatro assassinos, mas deu o nome e país de origem de apenas dois.

Sulejmani, da Albânia:

Ludmila Dyacheni, da Rússia:

Já que não temos nenhuma informação pessoal dele, o chamaremos de Assassino C

E esse será o Assassino D

Mycroft acreditava que os assassinos se mudaram para Baker Street a mando de Moriarty, mas ele não parecia ter provas.
Isso sugere que Mycroft não sabia especificamente em que missão eles estavam, ainda que tenha deduzido que isso não podia ser uma boa notícia para Sherlock.

Estava tudo muito bem explicado, mas óbvio que eles tinham que complicar quase que imediatamente. Quando John retorna ao 221B, ele se distraí com a primeira pista do conto-de-fadas e se detém em frente à porta semi-aberta. Um homem com uma escada pede licença e entra no prédio passando por John.

Mais tarde no episódio, é revelado que este homem era um atirador de Moriarty encarregado de atirar em Mrs Hudson. O chamaremos de Atirador 1.

Ele também faz alguns reparos na casa de Mrs Hudson mais tarde no episódio, então parece que no momento em que John chega de casa após sair do Diogenes Club, o Atirador 1 certamente andou livremente pelo prédio fazendo alguns "reparos".

Quando vemos de repente o 221B por uma câmera em preto-e-branco na próxima cena, suspeitamos que havia alguma câmera escondida no canto.

Certamente, Sherlock encontra uma câmera sem fio na estante depois.

Sabemos exatamente qual era a do Atirador 1 na hora, mas não devíamos suspeitar muito dele até o momento. Parecia que ele provavelmente havia colocado a câmera e estava andando ao redor da casa.

Mas um pouco antes de Sherlock encontrar a câmera, Sulejmani foi morto por um outro assassino ao apertar a mão de Sherlock.

Isso devia nos ter dado a pista de que o Atirador 1 estava envolvido com os assassinatos. Se os outros assassinos mataram Sulejmani pelo aperto de mãos, parece difícil que eles achariam tranquilo o Atirador 1 ter acesso livre para entrar e sair do 221B se achassem que ele era um deles ou estava trabalhando com um deles para pegar o código.

Sherlock puxa uma lista de conexões wireless na área e nós temos outra pista. Mycroft disse que haviam quatro assassinos internacionais. Mas aparecem cinco redes na lista e nenhuma delas é inglesa.

Como as linguagens são complicadas, alguns fãs ajudaram a decifrar. Graças a eles, pôde-se fazer uma captura com as legendas: 

Parece que podemos assumir a rede russa como pertencente à Ludmila e a albanesa ao recém-falecido Sulejmani.

Sobram as redes Espanhola, Tcheca e Estoniana até o momento.

Perceba, no entanto, que se o pessoal de Sherlock estava mesmo tentando nos dar pistas, pode haver uma pequena aqui. As redes espanhola e tcheca têm mais sinal que as outras. No mínino, isso pode ser uma pista de que uma dessas duas redes estava associada à câmera escondida e qualquer que seja, provavelmente pertencia ao Atirador 1.

Voltando à trama: Sherlock demorou um pouco com a câmera. Lestrade voltou para prendê-lo, Sherlock e John se tornaram fugitivos e acabaram pulando em frente a um ônibus para forçar o Assassino D a salvá-los. Eles conversaram um pouco com o Assassino D, e ele explicou que estava atrás do código. E aí, levou um tiro de outro assassino e presumimos que morreu.


Segundo os leitores, o sotaque do Assassino D deve pertencer à Estônia, baseado na entonação do "R" quando ele diz "Moriarty". Parece razoável. Então vamos assumir que a rede da Estônia era do Assassino D.

Agora pode ser uma boa hora pra parar e lembrar que dos quatro assassinos dos arquivos de Mycroft, apenas Ludmila e o Assassino C estão vivos.

Nesse momento, nós praticamente não temos rastros de Ludmila. Ela não tinha nada a ver com os atiradores de Moriarty, já que são todos homens. Talvez ela não tenha descoberto que o código de Jim era falso, mas se ela ouviu dizer que Sherlock e Jim haviam morrido, teria dado no mesmo pra ela. O código seria considerado perdido, porque existia apenas na cabeça desses dois homens, até onde sabemos. É possível que não a vejamos mais. Por outro lado, Mycroft disse que ela tinha alugado o apartamento em frente ao 221B e uma vez que é certo que todos nós esperamos ver A Aventura da Casa Vazia no próximo episódio, essa informação ainda pode ser relevante. (Ah, e terá sido intencional que ela seja a única dos "novos vizinhos" que John se lembra de ter visto antes e que ela more diretamente em frente a eles?)

O Assassino C é um pouco mais complicado. Para falar sobre ele, precisamos parar e apresentar os atiradores de Moriarty primeiro.

Moriarty tinha três atiradores prontos para atirar em John, Mrs Hudson e Lestrade se Sherlock se recusasse a pular do telhado para o que Moriarty entendia ser a sua morte.   

Já conhecemos o atirador de Mrs Hudson, o Atirador 1:

Então vamos chamar o atirador encarregado de John de Atirador 2:


E o encarregado de Lestrade de Atirador 3:

Você percebe por que as coisas ficam complicadas aqui? O Assassino C se parece demais com o Atirador 2:


E se alguém ainda achar que Ian Hallard (o advogado de Moriarty) fez o atirador, saiba que ele estava brincando e já negou essa informação

Então nós temos um homem que estava no grupo de assassinos apresentados por Mycroft que parece com um dos atiradores de Moriarty. O que isso significa? Bom, temos quatro maneiras básicas de interpretar.


A primeira opção é que eles se parecem, mas são pessoas completamente diferentes. Talvez a semelhança tenha sido intencional para nos confundir, mas isso não parece ter um propósito profundo. Essa opção nos deixaria com quatro assassinos e três atiradores e o Assassino C cairia na mesma irrelevância potencial de Ludmila.

A segunda opção é que eles são pessoas diferentes, mas se parecem porque são gêmeos. Se divirta com isso se quiser, mas eu não iria por esse caminho.

A terceira opção é que eles são a mesma pessoa e ele era tanto o assassino atrás do código quanto um dos homens de Moriarty. Essa opção não é tão viável quanto parece, no entanto. Lembra quando Sherlock e Jim estavam discutindo o código no telhado?

Jim: Eu disse a todos os meus clientes, o último a pegar Sherlock é mulher do padre.
As pessoas atrás do código não estavam trabalhando para Jim. Por que estariam? Ele ão precisava de nenhum código e, ainda mais importante, ele sabia que não havia nenhum.

Como ele mesmo disse, eram seus clientes que estavam atrás do código. Então os assassinos em busca do código eram ou clientes de Jim ou pessoas contratadas para seus clientes.

Os atiradores posicionados para atirar nos amigos de Sherlock, no entanto, eram claramente empregados da Moriarty Ltda.

Será que Moriarty não poderia apenas ter feito o Assassino C mudar de lado para trabalhar com ele no final? Talvez, mas isso seria meio esquisito. Os assassinos atrás do código foram orientados a manter Sherlock vivo custe o que custasse. É por isso que Sulejmani e o Assassino D salvaram a sua vida. Então a ideia de que Jim iria atrás de alguém que estava observando Sherlock e assegurando que ele ficasse vivo e diria "Mudança de planos. Você trabalha pra mim agora, e seu primeiro serviço é observar Sherlock e assegurar que ele morra". Não é impossível, mas parece uma solução bastante deselegante.

A quarta opção, então, é que o Assassino C e o Atirador 2 são a mesma pessoa, mas ele nunca estava entre os que queriam o código. Nós achamos que ele estava lá pela mesma razão que Sulejmani, Ludmila e o Assassino D porque Mycroft nos mostrou fotos deles no mesmo grupo. Mycroft não entendeu errado, porque ele nunca disse que sabia porque os assassinos estavam lá. Tudo o que ele disse é que eles haviam se mudado para Baker Street recentemente. O Assassino C realmente se mudou para perto do 221B ao mesmo tempo que os assassinos, mas ele estava lá porque na verdade trabalhava para Jim como o Atirador 2 (de John). Isso insinua que o plano de Jim estava pronto bem antes do que aconteceu no final, mas nós já sabíamos disso, considerando que o Atirador 1 (de Mrs Hudson) esteve lá o tempo todo. (E ainda havia o fato de que Jim basicamente chegou em Sherlock e disse que tinha um plano maior pronto pra começar).

Escolhemos ir pela quarta opção, o que significa que haviam apenas seis matadores no total. O efeito disso dá a Ludmila um pouco de relevância de volta, porque se o Assassino C/Atirador 2 nunca esteve atrás do código, isso significa que ela era a única pessoa viva que estava. Isso também significa que ela foi a única que atirou no Assassino D (Sim, sabemos que parecia haver três tiros na cena, mas não restavam três pessoas para atirar nele no momento, não importando o que você acha sobre o Assassino C. Então é fácil acreditar que Ludmila atirou três vezes e o assassino recebeu dois. Aparentemente, ela gosta de ter certeza).

Agora que temos os matadores nos "termos" corretos, vamos resumir e ver se podemos resolver a questão da nacionalidade de cada um. Até o momento estabelecemos que:

Ludmila é da conexão Russa
Sulejmani é da conexão Albanesa
Assassino D é da conexão Estoniana

Sabemos que o Atirador 1 e o Assassino C/Atirador 2 estavam ambos morando ou trabalhando em Baker Street, então eu diria que as redes wireless restantes eram deles, somando o total de cinco que vemos acima (o sexto matador, o Atirador 3, de Lestrade, não se mudou para Baker Street). Um deles é Tcheco e o outro Espanhol. Lembre-se que essas eram as duas redes com sinal mais forte-não surpreende que as pessoas trabalhando diretamente para Jim tinham o sinal mais próximo.

Sobre o Atirador 3, se ele tiver algum tipo de descendência internacional, pode ser que seja Alemão. Lembra desta cena?


Mrs. Hudson: Um rapaz deixou uma encomenda, eu me esqueci, parece perecível. Precisei assinar por ela. Tinha um nome engraçado. Alemão, como os contos-de-fadas.
Essa última fala é um pouco estranha. Sim, essa é uma pista pra coisa dos contos-de-fadas. Mas eles estavam prestes a abrir o distinto envelope com a pista-do-conto-de-fadas e descobrir o Homem de Biscoito dentro. Acho que nós, e Sherlock, teríamos feito a conexão sem a ajuda de Mrs. Hudson. Então talvez ela estivesse nos ajudando com outra coisa, e nos dando uma pista que o Atitador 3 era alemão e teria sido ele que deixaria a encomenda.



2 comentários:

  1. Caraca. Deu um nó enorme na minha cabeça agora. kk Só estou mais e mais animada agora para que a terceira temporada saia logo.. =/

    Bijos!

    @mariapsalles

    ResponderExcluir
  2. Precisei ler duas vezes pra pegar a idéia, e ainda lerei uma terceira. Boa teoria, e acho que está certo o "Assassino C/Atirador 2".
    *Amando o Sherlock Brasil*

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.