Ads Top

Sue Vertue e o casamento em Sherlock

Postamos ontem no Facebook o link para a entrevista exclusiva que a produtora Sue Vertue concedeu ao Sherlockology durante o festival de Edimburgo. Uma fala curiosa de Sue Vertue (que traduzimos no referido link) foi sobre uma adaptação feita por William Gillette onde Sherlock Holmes se casava, com a bênção de Conan Doyle. Como Steven Moffat e Mark Gatiss já admitiram que além das históras originais "outras fontes também sõ canônincas" (leia aqui) e uma das palavras da terceira temporada é "Wedding", achamos que vale a pena se manter atento a qualquer detalhe solto no ar.
Jeremy Brett na adaptação da Granada

Lembrando que em "Charles Augustus Milverton", Sherlock chega a ficar noivo de uma empregada para conseguir investigar um caso. 

A entrevista é curtinha, com apenas três perguntas, e vale a pena dar uma lida.

Por Sherlockology 

A entrevista foi feita como parte da Sherlock Holmes Week realizada neste mês e em apoio à campanha Save Undersaw, onde Mark Gatiss também é patrono de Confiança.

Do que você mais gosta do trabalho em Sherlock?

Há tantos aspectos diferentes em fazer Sherlock que são especiais pra mim que é um desafio escolher, mesmo assim, o único sentimento que domina completamente e que eu amo é a PAIXÃO. Eu nunca tinha visto tanta gente - autores, artistas, equipe, fãs - se envolvendo tanto ou com tanto orgulho, em nenhum outro programa que eu trabalhei e eu amo isso.

Você pode nos dizer algo sobre Sherlock que nunca disse a ninguém?

Antes de discutirmos a possibilidade de fazer Sherlock, eu não havia lido nada de Conan Doyle! Eu já tinha visto vários filmes mas nunca tinha lido nenhum dos livros. Steven me sentou numa cadeira com "Um Estudo em Vermelho" e disse - leia, eu sei que você vai amar. E eu amei. Dito isso, até mesmo hoje em dia, eu não li muitas das histórias. E por uma razão calculada. Nós achamos que precisava haver uma pessoa na produção que não sabia cada coisinha sobre Sherlock Holmes, para que quando os rapazes colocassem uma referência no roteiro, continuasse lá porque era boa e se encaixava, não porque agradaria aos fãs.


Já aconteceu algumas vezes de, nos primeiros rascunhos, eu ter dito "não entendi isso" e eles tiveram que admitir que era uma pequena referência a Conan Doyle que estavam tentando passar.
O que você discutiu com Steven e Mark no primeiro encontro sobre Sherlock que tiveram?
O primeiro encontro que a gente teve foi bastante glamouroso em Monte Carlo, já que estávamos lá para uma premiação. Foi um lindo dia de sol e eu os levei para almoçar do lado de fora. Eu disse "me falem tudo sobre Sherlock Holmes", que coisa estúpida pra se dizer!!! Algumas horas depois eu já sabia muito (tudo o que vocês sabem e eu não sabia). Que John se casou , que Sherlock tinha um irmão, que não se sabe muito sobre o seu passado (mas Mark e Steven podem ficar horas discutindo o tipo de infância que eles acham que Mycroft e Sherlock tiveram!), que Conan Doyle às vezes esquecia o nome dos personagens, lugares de fermentos e uma vez chamou John de James. Que a maioria das histórias eram curtas e, meio importante, que Conan Doyle um vez respondeu a William Gillette - que havia escrito a ele pedindo permissão para casar Sherlock em um peça - assim "Você pode casá-lo ou assassiná-lo ou fazer o que você quiser com ele". De certa forma isso é importante pra nós porque pesar de Mark e Steven serem fãs inflexíveis de Arthur Conan Doyle e não sairiam dos limites do que eles acham aceitável, isso permite que eles modifiquem as histórias de Doyle  - o que eu acho que os meninos fazem muito bem.
Leia também:
Sue Vertue fala sobre o Episódio Piloto e viver com Steven Moffat (Aqui)

6 comentários:

  1. Algumas teorias dizem que James é a versão inglesa de Hamish e esse é o nome do meio de John.
    Eu imagino esse dia a Sue no meio de Mark e Steven, quando dois fãs se juntam, quem tá por perto fica sobrando kkkk
    PS: Sherlock casando?!!! Quem teve a proeza?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem inventou o bordão "Elementar, meu caro Watson!" - ;)

      Excluir
  2. eu ia fazer exatamente o mesmo comentário sobre ''James'' ser Hamish mas enfim... eu prefiro que seje o casamento do Sherlock só pra resolver um caso do que de fato casarem o John... mas é só uma opinião antecipada eu confio plenamente nesses lindos ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa teoria de James ser Hamish em escocês, é apenas um teoria levantada por fãs estudiosos de Sherlock Holmes, tentando dar um brilho na falha de Conan Doyle. Mas todo mundo sabe que foi erro mesmo; o próprio dizia que "não se apegava a detalhes".

      Excluir
    2. Ah sim, e ela só foi levntd porque o nome do meio dele é "H." e assumem como "Hamish", mas Conan Doyle nunca escreveu que o nome do meio de Watson fosse Hamish. :)

      Excluir
  3. Se Doyle nos deu Sherlock, bem, façamos bom uso dele. XD
    Agora falando sério... É totalmente possível fazer "qualquer" coisa com um personagem sem no entanto agredir sua formação primordial e canônica, E digo isso com a (pseudo)autoridade de uma autora de fanfics que se preocupa (e muito!) em não alterar caracteristicas essenciais de uma personagem.
    Assim sendo, eu estaria confortável com uma mudança de rumo contanto que a estrutura permanecesse inalterada... Se é que me entendem...
    PS: nada de transformar John em uma menina, por exemplo! ;)

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.