Ads Top

Você sabia?




Elementar, caro leitor...curiosidades sobre o detetive original de Conan Doyle e mais prolífico residente de Baker Street.


Mudança de nome

Conan Doyle originalmente teve a intenção de chamar seu ícone literário de Sherringford Holmes mas, por razões desconhecidas, riscou o manuscrito no último minuto e mudou para o cativante Sherlock. Curiosamente, o nome Sherlock significa "loiro", a despeito do personagem ser descrito como tendo cabelos pretos. 

Aqui, um trecho escrito pelo próprio Conan Doyle a respeito:


Tradução: "A ideia me divertia. Como eu deveria chamar o camarada? Eu ainda tenho a folha do bloco de notas com vários nomes alternativos. Alguém se rebelou contra a arte elementar de dar pistas sobre o personagem através do seu nome, criando um Mr. Sharps ou Mr. Ferrets. No início era Sherringford Holmes; depois virou Sherlock Holmes. Ele não podia contar suas próprias façanhas, então deveria haver um companheiro que vivesse com ele em contraste - um homem de ação educado que poderia participar das façanhas e narrá-las ao mesmo tempo. Um nome silencioso e sem graça para esse homem discreto. Watson servia. E então, eu tinha meu objetivo e escrevi meu Estudo em Vermelho."

Do Tumblr
O verdadeiro Holmes

O personagem fictício Sherlock Holmes é baseado no doutor Joseph Bell, um professor da Universidade de Edinburgh com quem Conan Doyle trabalhou como assistente nos idos de 1870. Bell acreditava que a observação poderia levar ao diagnóstico, e para ilustrar sua teoria ele escolhia membros da classe e deduzia fatos sobre eles através de suas aparências - uma habilidade que tornou Sherlock famoso. Bell também foi um pioneiro no uso da medicina forense na investigação criminal e trabalhou no infame caso de Jack, o Estripador

O chapéu

Anda que Holmes tipicamente seja retratado vestindo um chapéu deerstalker, há apenas uma menção dele usando tal acessório em toda a série de livros e contos. Conan Doyle descreveu seu protagonista em um "chapéu de viagem com abas de orelha" em A Aventura de Silver Blaze. O tão-amado chapéu de Sherlock e a sua capa foram introduzidos por Sidney Paget, o artista que ilustrou algumas das histórias de Conan Doyle.

De volta ao remetente

221B Baker Street, o famoso endereço de Sherlock Holmes, não existia quando os livros foram escritos - as casas iam até o número 100. Em 1930, muitas ruas na área foram renomeadas e renumerizadas, e o 221B de Baker Street se transformou em parte do escritório da Abbey National Building Society. Nas décadas seguintes, o pessoal da Abbey National passou a receber e responder milhares de cartas endereçadas ao herói fictício...até 1990, quando o número passou apropriadamente a ser designado ao Sherlock Holmes Museum, na mesma rua.

Nos Estados Unidos

O endereço fictício de Sherlock Holmes é frequentemente usado como piada-interna em outros filmes e programas de TV. Mais recentemente, serviu como a residência do personagem central da série House, com uma licença artística - esse 221B de Baker Street fica em Nova Jersey. O criador do programa, David Shore, é um enorme fã do detetive de Conan Doyle e temperou os roteiros do seu popular drama com muitas outras referências à Sherlock. 


Citação errada

A mais famosa frase de Sherlock - Elementar, meu caro Watson - não foi utilizada em nenhum dos livros originais de Conan Doyle. Algumas vezes ele usa a palavra "elementar"e ocasionalmente se refere a seu amigo como "meu caro", mas as duas expressões foram unidas para cunhar um bordão para uma série de rádio de no início dos anos 40 e pegou. Foi escrita pelo dramaturgo e ator William Gillette.

Armado e perigoso

Ainda que seja melhor conhecido pelo seu deslumbrante intelecto, Holmes também foi um pouco um homem de ação. Conan Doyle o criou sendo proficiente em esgrima, útil com uma bengala ou um bastão, um talentoso lutador de boxe e, o mais exótico, um expert em uma arte marcial fictícia japonesa chamada baritsu!

Crimes intoxicados

Frequentemente negligenciado nas adaptações para a tela, Conan Doyle escreveu Sherlock como um usuário recreativo de drogas pesadas, que usava para se aliviar do tédio entre os casos e manter sua mente estimulada. Foi descrito usando cocaína intravenosa e ocasionalmente morfina. Ainda que drogas como a cocaína fossem legais durante a época Vitoriana, Dr. Watson desaprovava seu uso...mas ficava mais do que feliz em baforar um suprimento quase interminável de cachimbo, charuto e cigarro.

A segunda chegada

Em 1893, Conan Doyle decidiu se concentrar em escrever estórias históricas mais sérias  e matou Sherlock em um confronto com seu arqui-inimigo Moriarty, culminando na queda para a morte de ambos em uma catarata. Porém, a demanda do público (e a relativa falta de sucesso de seus outros livros) o forçou a escrever para trazer miraculosamente de volta seu personagem mais famoso, com a revelação de que Holmes havia fingido sua morte para se proteger do braço direito de Moriarty. Ao mesmo tempo, a cena atual da briga parcialmente fatal - As cataratas de Reichenbach na Suíça - se transformou na meca para os fãs de Sherlock pelo mundo.

Conan Doyle, sobre a morte de Holmes:


Tradução: "Um homem nunca é apreciado devidamente até estar morto, e o protesto geral contra a minha execução sumária de Holmes me ensinou quantos e quão numerosos são seus amigos. "Seu selvagem" foi o início da carta de protesto que uma moça me mandou..."

Conta-se que as pessoas usaram faixas pretas nos braços quando O Problema Final foi publicado.

Eu e Mrs Holmes

mary_russell3
Mary Russell
Sherlock Holmes se aposentou oficialmente de seu trabalho como detetive em 1903 e se mudou para uma fazenda em Sussex Downs onde passou a cuidar de abelhas e escrever seu livro O Guia Prático do Cultivo de Abelha Com Algumas Observações Sobre a Separação da Rainha. Ele foi retirado por Conan Doyle de sua aposentadoria apenas mais uma vez para uma coleção de contos chamada Seu Último Adeus, em 1917; mas se tornou um personagem em uma série de até então 11 romances criminais de Laurie King. Sherlock se transformou no mentor da protagonista de King, Mary Russell, e o casal se apaixonou e casou. E viveram felizes para sempre.



O primeiro filme de Sherlock Holmes

Foi filmado em 1900 e tem apenas 60 segundos! Assista "Sherlock Holmes Baffled":



9 comentários:

  1. Não seria 1870, em vez de 1970? Erro na revisão?

    ResponderExcluir
  2. Tenho uma pergunta boba... Hahaahah Sou super fã do Sherlock como também do Benedict, que não podeia ter sido melhor como o personagem. Como a série se passa em um tempo atual, gostaria de saber se o tamanho do cabelo do Sherlock tem algo a ver com essa atualidade. É idiota, mas fico intrigada com isso, e porque foi o melhor visual de Benedict até hoje ao meu ver.

    ResponderExcluir
  3. quantos anos Skerlock Holmes,tinha quando fez o filme?

    ResponderExcluir
  4. Gente, sobre a série que l Benedict faz, alguém saber me dizer do que se trata aquela lista que ele faz para o Mycroft?

    ResponderExcluir
  5. Gente, sobre a série que l Benedict faz, alguém saber me dizer do que se trata aquela lista que ele faz para o Mycroft?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma lista das drogas que ele usou naquele dia.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.